AS EMOÇÕES DURANTE A GRAVIDEZ

Olá a todos!
Por sugestão de várias seguidoras, vou hoje escrever , embora de forma
ligeira, sobre o turbilhão de emoções que a mulher grávida experimenta,
nesse período.
Por causa da gravidez, algumas mulheres apresentam situações de
mudanças de humor bruscas, oscilando entre momentos de euforia e
tristeza, de forma brusca. Nesta fase, as mudanças físicas são muito
evidentes, mas as psicológicas adquirem muita importância porque podem
afetar o ambiente familiar, social e laboral.
Essas alterações emocionais são consideradas normais, e o melhor de
tudo, é que elas são temporais. Nalguns casos, a personalidade da mulher
transforma-se de tal forma , que a sensação que fica é a de que se está a
conviver com uma pessoa diferente.
As mudanças emocionais na gravidez, ficam a dever-se às funções
hormonais.Ou seja, os neurotransmissores do cérebro deixam de receber
os níveis hormonais a que estavam habituados, e por isso ficam alterados.
Os níveis de estrógeneo e progesterona duplicam e, por esse motivo, a
parte racional da personalidade diminui e a parte emocional sai reforçada.
Estas mudanças nos recetores dos neurotransmissores, dão lugar a
estados de ânimo, que mudam de forma repentina, passando da alegria ao
choro, sentindo-se assim uma maior irritabilidade ou mau humor.
No primeiro trimestre haverá uma grande flutuação emocional. É normal
que a grávida se sinta mais ansiosa, ambivalente e com frequentes
alterações de humor.
Aceitar a nova situação leva tempo e são frequentes os medos sobre a
capacidade de resposta para este novo desafio. Mesmo a mulher mais
segura, pode tornar-se frágil. Estas flutuações emocionais são mais
frequentes nas mulheres que têm sintomas físicos associados, decorrentes
da gravidez, como sejam vómitos, náuseas, mal estar geral, entre outros.
O desejo sexual também pode diminuir por causa do cansaço, do mal estar
físico e do medo em causar danos ao feto. A compreensão do casal é
fundamental para que seja possível suportar todas estas mudanças.
O segundo trimestre já se caracteriza por ser um período de tranquilidade
emocional, dado que os níveis hormonais já se encontram estáveis e a
futura mãe já teve tempo para se adaptar psicologicamente à gestação.
Os incómodos físicos do primeiro trimestre já desapareceram e a futura
mãe pode sentir de novo um maior desejo sexual, favorecido pelo aumento
da sensibilidade.
No terceiro trimestre as dificuldades psíquicas retornam por causa do
aumento do volume da barriga, que perturba o bem estar da grávida.
Aparece a dificuldade para dormir, incontinência urinária, dores nas costas
e o cansaço, entre outras coisas, que em nada contribuem para o bem estar
emocional. Por outro lado, neste último trimestre, o tempo parece que
passa mais lentamente, a ansiedade aumenta com o aproximar da hora em
que se conhece o bebé, surge o medo do parto e a insegurança em relação
à criança. E depois temos ainda que considerar a ansiedade provocada
pelas mudanças que são necessárias fazer em casa e pelas limpezas por
forma a que tudo esteja preparado para receber o novo membro da família.
Como se manifestam estes sintomas?
Euforia e tristeza: ter um filho é o que uma mãe procura e por isso sente-se
“nas nuvens” e até um pouco excitada. As felicitações dos amigos e
familiares, deixam a mulher cheia de felicidade, mas quando ela tem que
conviver sozinha com o mal estar físico, parece que o mundo vai desabar!
Do riso ao choro É inútil que alguém pergunte à futura mãe porque é que
ela chora, se no instante anterior tinha um sorriso largo, pois nem mesmo
ela saberá responder. Os altos e baixos hormonais que os
neurotransmissores sofrem, são os responsáveis e não adianta pensar
muito nisso.
Medo e ansiedade: Certamente que a futura mãe tem uma lista
interminável de perguntas sem resposta, em relação aos sintomas, ao parto
e ao aleitamento. O medo do desconhecido e a ansiedade que esse medo
gera, o não saber como tudo acontecerá, são normais em todo este
processo.
Distração e esquecimento: não saber onde estamos com a cabeça é
angustiante. Não sabermos onde colocamos as chaves do carro é comum…
Um conselho, viva tudo com bom humor e não valorize demasiado.
E tenham presente: durante a gravidez, todos os mimos recebidos são
transformados em energia positiva, para ser aproveitada após o
nascimento do bebé!
Até breve!

Deixe uma resposta